quarta-feira, 1 de abril de 2009

Arquétipo

Sem formas definidas
nem prazo
nem peito de ser
sou o que a maioria é e nem sabe.
Modelo de algo
que muda com o tempo
e se renova com o tato.



Ígor Andrade

_____________________________________________________________________

4 comentários:

Adriana Godoy disse...

É isso, Igor. Boa tirada. Bj

Editora Novitas disse...

Igor,
obrigada pelo comentário lá no Blog da Editora Novitas!
Tua poesia é forte, fala por si só. Escreve bem!
Abraços

BAR DO BARDO disse...

um novo toque, um novo ser...

saquei!

Isabela disse...

Ígor,pessoa linda,fico lendo seus poemas e mesmo não te(conhecendo), te sinto a cada linha que leio.....Seus versos são cheios de vida e forma. Bjos!

Isabela