sexta-feira, 3 de abril de 2009

Minha casa tem nome de gente

Enquanto as telas se apagam
e as teias se enrolam
as bocas secam
de sono e cansaço.

A noite vira dia
assim como eu quero
assim como eu queria.

E eu apaixonadamente
(apaixonado mente?)
acabo voltando pro mesmo lugar.
Minha casa.



Ígor Andrade

___________________________________________________________________

5 comentários:

Camilla Andrade disse...

Tua poesia...

MEU ABRIGO.

S.L. disse...

Nossa casa sempre é nosso refúgio. Dia e noite, noite e dia. Adorei a colocação das palavras! Beijinho.

BAR DO BARDO disse...

Sim - semper
ti
nem
cia

☆ Sandra C. disse...

essa tua poesia poderia facilmente chamar-se ROTINA.

a odeio, btw.

placido disse...

Parabens meu filho( vulgo Gafanhoto)leve c/ folha, rapido como pensamento e suave c/ a brisa. Obrigado por dedicar a mim, continue acreditando no seu potencial, mas não
se esqueça que a vida passa rapido e o mundo gira.Parabens e obrigado.....
Pode contar c/ Paipsi................
Saudações Budistas...Namaster