quinta-feira, 9 de abril de 2009

Dos engasgos

O grito na garganta
que não sai
o frio da rua
e o que queima no peito
essas coisas que não têm sentido
e eu tenho sentido
que são causas, não efeito.



Ígor Andrade

_____________________________________________________________________

8 comentários:

S.L. disse...

Grite! Ainda que seja na escrita... tudo ajuda quando na solidão inerna das madrugadas incertas. Beijo grande.

Adriana Godoy disse...

Tudo pode ser causa ou efeito, mas sempre causam algunm coisa. Belo engasgo, Ìgor.

Ps: tem poema meu no poema dia. bj
http://poemadia.blogspot.com/

mariam disse...

Igor,

gosto dos seus poemas. muito.

BOA PÁSCOA!
um abraço e o meu sorriso :)
mariam

Fabio Rocha disse...

São as causas da poesia, amigo! Até os sintomas de ansiedade temos parecidos... :) Adorei este poema.

Me lembrou um meu antigo: "A poesia / é um grito / contra todos / os meus silêncios."

Abração

☆ Sandra C. disse...

o certo é fazer tudo sem esperar reconhecimento.

:)

Larissa disse...

Muito bom. :)

glória disse...

esse grito reverbera Igor mesmo que o silêncio se instaure, mesmo preso na garganta, bjs

Cosmunicando disse...

sem comentário! perfeito =)
abraço