sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Sei lá...

Um tédio já tarde
em toda a imaginação
quando o vento que arde
me lembra a impressão.

Que impressiona e mente
nos abandonos que sinto
mas não pressiona a mente
quando penso que minto.

Por não saber se tenho
ou se um dia vou ter
no meio do caminho, venho
não sei mais o que merecer.


Ígor Andrade

__________________________________________________________________

2 comentários:

glória disse...

O merecimento é a poesia que brota e é compartilhada. Mesmo que a impressào que se tenha é que ela vagueia sozinha. bj

Pan y vino disse...

Cara, na última estrofe tu mostraste que tens o dom da rima, a clareza da musicalidade de um texto. Parabéns.
Eu também curto poemas que rimam (e os faço, ou pelo menos tento e invento). Meu blog é Pan y vino, e o endereço é marcelinorodrigues30.blogspot.com