domingo, 21 de dezembro de 2008

A história alheia

Tão lento
quanto o que decido
e tão forte
que pareço ceder.

Tão vivo
que às vezes duvido
de tão nobre
que não pode envelhecer.


Ígor Andrade

__________________________________________________________________

3 comentários:

Diego! disse...

História alheia...
quem sabe pode ser até a nossa!


até...

glória disse...

ceder é um exercício possível apenas para os que podem se re-inventar, podem se refazer. uma história que é táo familiar a cada um. gosto de tua densa simplicidade. bj

Lou disse...

Alguns nos parecem imortais! Abçs