domingo, 23 de maio de 2010

Window

Olho pra fora
procurando
o olho dentro
obscuro cego
lamento
estou na janela
não vejo ela
só o vento.



Ígor Andrade

___________________________________________________________________

3 comentários:

Fabio Rocha disse...

Ver o vento é tudo... Abração

Meu olhar caleidoscópio disse...

O vento era o próprio olhar dela, Poeta! Encarando-te! :)

Marcelino disse...

Lembra um trecho do belíssimo romance Canaã, de Graça Aranha: em determinado momento um dos protagonistas, o alemão Milkau, inclina-se numa janela e chora sua solidão no silêncio da noite, sua incapacidade de expressar seu sentimento, seu medo de amar e até de tocar a colona Maria Perutz.