quarta-feira, 19 de maio de 2010

Quase vinte e nove

(Hoje apenas
um poema
sem nexo
para libertar
o plexo...)

Eu e o meu ostracismo
cansando de me cansar
com as mesmas coisas
ainda vamos longe.

Todo dia a vida
começa agora.
Hora também cansada
penso dentro
o que não tenho fora.

Amanhã faço vinte e nove anos de idade
vinte e nove anos de idas e vindas
vinte e nove vidas
vinte e nove...

Me sinto mais novo
quando me sinto mais velho.
Nascer de novo
até antes de morrer
é uma missão.

Ainda continuo sonhando.
Tudo que sempre quis ou devo
fazer:
Matar nazistas
em ruas sombrias.
Salvar vidas
em algumas linhas.
Me afastar dos desafetos
me aproximar de quem merecer.

Ainda continuo sonhando
com coisas nada a ver
que me fazem bem.

Amanhã terei
vinte nove anos vivos
de vida
que ainda viverei.



Ígor Andrade

___________________________________________________________________

9 comentários:

disse...

Uau! 29! Eu aqui achando 18 muito..

De qualquer forma, o teu poema me lembrou a musica de Legião. ''Vinte e Nove''

Talvez nao tenha nada a ver, mas... aha

beijos.

Meu olhar caleidoscópio disse...

Uma nova vida a cada dia..TODOS os dias. Aos vinte e nove, trinta, trinta e seis....eternamente:UMA VIDA NOVA!Bjs e mts conquistas.

Marcelo Mayer disse...

eu estaria fumando mil cigarros numa situação dessas

Lara Amaral disse...

Espero que mais 29 vezes 9 anos de poesia com essa sua qualidade literária.

Parabéns!

Beijos.

Renata Bezerra disse...

Ígor, querido...

Uma vez eu achava uma grande bobagem essa história de que nós ficávamos melhores com o passar do tempo... Mesmo porque odeio essas verdades prontas e essas frases feitas... Mas enfim, envelhecer tem suas vantagens. Acho que essa década, dos 30 aos 40, é uma das melhores da vida... O corpo ainda ajuda, e você está no meio termo entre adolescente e adulto completo. Tem um pouquinho de sabedoria e ainda muita coragem. Fome de viver. Então, vamos comemorar. A delícia de envelhecermos ainda tendo sonhos. E a coragem de ainda podermos transformá-los em realidade.

Parabéns. De coração.

Ígor Andrade disse...

Não te entendi, Marcelo Mayer.
E eu não fumo, tenho nojo e acho burrice!

Ígor Andrade disse...

Obrigado, pela leitura (de sempre) e companhia (de longe), meninas!
Abraços!

Lou Vilela disse...

Parabéns, Ígor! =) Que a poesia continue permeando sua vida!

Abraços,
Lou

Marcelino disse...

Tirando o assassinato dos pobrezinhos nazistas...(rsrsrs) Muitos vinte e noves pra vc, preto,
Um abraço.