segunda-feira, 31 de maio de 2010

As horas

Na madrugada
não consegui dormir.

Um silêncio lento
e diferente
na minha frente
e a saudade...

Uma dor aguda
genital
meia anormal
me perturbou.

Sobrevivo
na minha reprodução
no papel
e em qualquer amor.

Choveu a chuva
e quando chove
o alarme da casa vizinha dispara
(barulho desnecessário
eu desnecessário).

A madrugada vai passando
ou melhor, passou
sem necessidade.

Amanhece: música breve.
Eu e meu piano imaginário
tocando os olhos fechados
e os corações abertos...

Uma menina perdida
que caminha na mata
com minha ferida me mata
me deixa um bom dia
e some.

Vez ou outro
uma fantasia dessa
me cutuca
e nem tem nome.

Tentar dormir agora
é antes de tudo
e sempre
a pior parte.



Ígor Andrade

____________________________________________________________________

2 comentários:

Lara Amaral disse...

Fantasias e insônia, combinação (im)perfeita.

Sempre impecável, meu caro!

Beijo.

Dandara disse...

Oi, obrigada por visitar meu blog, já estou te seguindo tb, bj