sexta-feira, 14 de maio de 2010

À caminho do mercado

Um homem me olha
do outro lado da rua
lembro do meu pai
no tempo que passa
na folha que cai
uma lágrima grita
em memória nua.



Ígor Andrade

___________________________________________________________________

4 comentários:

Renata Bezerra disse...

Por que temos de enxergar em estranhos o que não temos mais conosco?

Abraço, Ígor.

Lara Amaral disse...

Lindo poema!

Passei para me atualizar de seus escritos tão ricos.

Beijos.

Fabio Rocha disse...

Nossa, Ígor. Mando daqui meu abraço comovido. Com certeza, é dos seus melhores poemas...

.raphael. disse...

Belo poema velho, feito com lágrimas de saudade nos dedos!

abs