sábado, 31 de julho de 2010

The first poem


Neste sábado, acordei sabendo.
O sol faz dentro da gente
muito embora amanheça chovendo.

Luz, alguma luz!
Uma leveza estranha se dissipa no ar.
Sou um solo de piano que alivia e conduz
sou meu próprio caminho em todo lugar.

E vou indo
eu vou me lendo
vou me ouvindo
e escrevendo.

Deixa o vento continuar ventando
deixa o mundo continuar mudando
deixa eu lembrar do que estava esquecendo.

A paz, sim, a paz...
Tanta falta me fez
e tanta falta me faz.

Hoje a paz
amanheceu aqui
sorriu pra mim
e fez de mim
a música e o silêncio.

Tudo claro!
Fora deste momento
e dentro do meu discernimento
qualquer mais é nada.



Ígor Andrade

____________________________________________________________________