terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Deserto, de certo.

Meu silêncio
é um Saara
com fome e sede
e calor na cara.



Ígor Andrade

_____________________________________________________________________

Um comentário:

dila disse...

Oi!

Obrigada por seguir o Poemas do Cárceres, porem, não é bem um blog para ser seguido é só aquilo mesmo, vou te seguir não por vc seguir o meu, mas, por gostar das suas poesias.

Shanti!