sábado, 5 de junho de 2010

O paradoxo eu

O suicida olha a janela
e pensa:
- Por que não pular?

O poeta olha a mesma janela
e cria.
Sem asa alguma, ele pode voar.



Ígor Andrade

____________________________________________________________________

3 comentários:

Luiz Guilherme Libório Alves disse...

Magistral !

Lara Amaral disse...

=)

Grande abraço!

Marcelino disse...

Ficou perfeito, cara: suicidas e poetas têm algo em comum, mesmo. O lançar-se para além da vida, a coragem para pular, e a mesma janela: a vida.