sexta-feira, 26 de junho de 2009

A volta escrita na estrada

Vou na volta
de casa pra casa
da praia pra cidade
(e nem vi o mar)
da tarde pra noite
do perto pra longe
vagando em chuvisco
chovendo nos olhos
vago, vazio, altívago, tardio
entardecendo o que não tenho
e não vou só
vaga-lumes
vagas lembranças
vagões de desejos
bendita estrada que dita
uma volta
e outra.



Ígor Andrade

___________________________________________________________________

5 comentários:

Camilla Andrade disse...

Isto está lindo demais, poeta!!

Patrícia Lage disse...

É por isso que vou ajeitar a minha mochila agora. Entende?

Meu beijo.

Paulo Tamburro disse...

Muito bom.Snsibilidade total e isto é imprescindível no poeta.

Parabéns.

Serei seu seguidor.

nina rizzi disse...

sim, muito lindo :)

lembrei-me de "andanças", de "partilhas"... melhor ainda é poder voltar quando quero...

beijo.

Suzane disse...

q interessante... fiquei arrepiada.