quinta-feira, 11 de junho de 2009

Céu

Tenho me sentido
(sem ter tido)
pássaro sem asas
e continuo voando
porque acredito.


Ígor Andrade

_____________________________________________________________________

14 comentários:

Cosmunicando disse...

acredite ;)

nina rizzi disse...

eu descobri... borboletas só voam no entorno.
e eu caída aqui :s

voa, camarada, que "eu te amo como se ama um passarinho morto".

beijo :)

Pequena Poetiza disse...

e não deixe jamais de voar
esperança
em esperar
sem deixar de seguir

beijos

Patrícia Lage disse...

Há coisas que, querendo ou não, sentindo ou não, são.

Meu beijo pra você, como sempre.

Vinny disse...

jamais perca as esperanças. é o que nos move.

=D

Ilana disse...

"Sabendo que era impossível, ele foi lá e fez"

Muito legal seu blog..

Renata de Aragão Lopes disse...

Que bonito, Ígor!
Em tão poucos versos, disse tanto...
Que tenhamos fé!
Para voarmos.

Ariel Pacífico disse...

A magia está aí, no acreditar, mesmo às vezes sendo impossível... Devo comentar que esta poesia em particular me rendeu uma reflexão profunda, obrigada!

Larissa disse...

E por acreditar, voas, voas. (:

Ariel Pacífico disse...

Olá Igor,
Passa lá no blog para ver no que rendeu a minha última visita aqui.

Obrigada!

Abçs,

Ariel

Fernando Rozano disse...

voar...belo, Igor, o texto e o sentido. não deixa de voar nem que saiam de ti os teus pássaros. meu abraço.

glória disse...

eu também Igor, asas da imaginação. bjs

Adriana Godoy disse...

Ainda bem que vc acredita, eu não mais. beijo.

Camilla Andrade disse...

Acredita, porque permanece, não na aparência; e sim á essência..
Essenciais são as asas, q alcançam os céus...
E substancial, é a permanência, q o conduz ao infinito.