terça-feira, 23 de junho de 2009

O temporal da não viagem

O vento grita
na minha janela entreaberta
e meu quarto fechado
silencia o meu mal estar.

Estar
em algum lugar
(que não seja esse)
era o que eu queria agora
querer é a questão
ficar aqui
ou ir embora.



Ígor Andrade

___________________________________________________________________

2 comentários:

Pan y vino disse...

A primeira pessoa se sobressai nos teus poemas, muito autorais, pessoais, passionais até.Como convém a esse gênero literário a que te dedicas. Eu tenho certeza que já chegaste, poeta, a um estágio de escrever coisas excelentes usando a voz do outro, de um terceiro, te maquiando em outros personagens, para viver e expressar outras sensações e sentimentos. É um exercício ótimo. Tenta. Um abração.

Camilla Andrade disse...

-----Vir-----
Sem volta!
Voando...
Rumo ao casulo!

Vivermos..
Sem medo!
Vermos..
Para cheirarmos o desejo!

Vida..
para ser sentida!!

Sentido aguçados, para o esperado!!