domingo, 7 de junho de 2009

Processando a trama

Computador é tela fria
com muita dor a teia espia
a aranha longe
arranha saudade.

Desculpas cheias de pernas
caminham pelos cantos
de paredes
que não quero enxergar.



Ígor Andrade

___________________________________________________________________

9 comentários:

Camilla disse...

Ah Igor... as vezes acho seus poemas subjetivos e vastos demais para o meu pequeno entendimento.

Rsrsrs

lindo!

Bjos

Lou disse...

Algumas tramas são bem urdidas! :)

Estive lá, mas não consegui acessar seus textos. É assim mesmo?

Abraços,
Lou

Suzane disse...

por hora nem as pernas, mesmo que cheias, quero.

Ariel Pacífico disse...

Olá Igor,

Tuas palavras como sempre, na medida certa, na expressão correta , sementes para reflexão.

Abço,

Ariel

nina rizzi disse...

nossa, tem uma sooridade sonetista, que massa. rs :)

ó... enter ou deleta.
ando mail desligada...

inté :)

Cosmunicando disse...

ah poeta, tu tá abusado rsrs... que é isso menino? "aranha longe" e "desculpas cheias de pernas"... nossa! Bom demais da conta ;)

ah! obrigada por acompanhar o Viver Sustentável... seja sempre bem vindo por lá também.

abração!

Adriana Godoy disse...

Processei e gostei. Beijo.

Pan y vino disse...

A concretização do abstrato (desculpas cheias de pernas)dá muito "pano pras mangas" e poemetos bonitos. Valeu!

Camilla Andrade disse...

O q caminha é o q permanece atrás dessa tela fria...

É aquele q cria,q permanece, q vivencia...e sem querer aquece o q nunca esfria...