domingo, 31 de maio de 2009

Não outro

O domingo me empurra
para o mesmo
e eu mesmo
não sou o mesmo.
Não sei o que é esse mesmo
senão um domingo diferente
mas com a mesma cara
da minha mesmice qualquer.



Ígor Andrade

___________________________________________________________________

4 comentários:

Mai disse...

Olá, Igor.

A mesmice dos dias nas horas que passam hiperativas, frenéticas a roubar os prazeres do seguir devagar, olhando pro tempo, pro mundo, pro canto dos pássaros e das coisas...
Realmente uma espécie de 'retroalimentaçãodomesmo'
isto mesmo, um palavrão hiperativo e surreal.

Mas terei que dizer que penso diferente de ti, quanto ao homem pois, por menos que mudemos, por mais que sejamos contumazes em repetir erros, jamais somos os mesmos, após um novo sol e uma nova lua.

Os mecanismos atávicos que nos fazem repetir, são repletos de novidades sobre nos mesmos.

Belo texto. Conciso porém repleto de significados.

Muito bom ter voltado aqui.
Abraços,
Mai

Pequena Poetiza disse...

a rotina nos embrulha

beijos

Philip Rangel disse...

tmb to cansado de mesmos domingos ne..eles se tornam repetitivos....


mas podemos desenhar uma historia a cada fds..e muda- la.qndo estamos com pessoas que compensam..

abraçao

[ rod ] disse...

Domingo é um dia interessante até as 11 horas... sempre achei. Depois vira um dia insosso.

Abçs meu caro,





Novo dogMa:
sanCiono...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/