sexta-feira, 22 de maio de 2009

Senso íntimo


Me desculpo com a razão
sempre que entardeço.

Triste não é viver
nem saber que se morre
a cada hora.
Triste e longe
é ter a consciência
que meus sonhos
também anoitecem.



Ígor Andrade

___________________________________________________________________

10 comentários:

Cosmunicando disse...

até eles... e como é triste.

parece que as dores fazem grandes poemas, não é? =)

boa noite poeta.

Camilla Andrade disse...

Minha nossa..de onde tu ta tirando tanta coisa assim, heim poeta...

Há potência, nesse poema..af!

nina rizzi disse...

os melhores poemas sam do buraco. da noite...

muito bom, cara. e o debaixo é minha lista de desejos também :)

beijo.

Adriana Godoy disse...

"meus sonhos também anoitecem" belíssimo, Igor. Bonito o poema todo.Beijo.

Pequena Poetiza disse...

e que possamos ver o anoitecer em sua maioria das vezes
como a possibilidade de mais um nascer do sol em seguida.

percorra o caminho

beijos

Adrianna Coelho disse...


"meus sonhos também anoitecem"

os sonhos de todos nós, meu caro, só que nem todos fazem disso poesia - vc faz!

[ rod ] disse...

E mudam meu caro... e como mudam. Os sonhos de hoje pode ser a glória e a desgraça do amanhã.

Abçs,





Novo dogMa:
sAnto...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

Larissa disse...

Mas é a noite que eles se fazem! :)

Suzane disse...

que sutileza querido... senti tudo.

Manual do Inseguro.com disse...

Puxa, Igor, fiquei sem palavras! Coisa difícil de acontecer. Qualquer adjetivo que usar soará superficial perto do que senti. Parabéns pela beleza e sensibilidade dos seus versos.
Stella Tavares