quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Desde que amanheceu

Desde que amanheceu
eu já era noite.

Notei isso hoje.
Sempre me atraso
em minhas conclusões.

Toda a beleza da minha ignorância
é suplantada na minha falta de compromisso
com a vida.

Amanheceu já há meio dia
e eu ainda não acordei.
Meio que via
tudo se perdendo
como sempre.
Meio que lia
Neruda
de cara pra janela.

A rua hoje está medonha
de tão silenciosa.

Os poemas buzinam
pro meu juízo andar.
Escuto o semáforo
que me pede atenção.

Sou aquela exatidão de dúvidas.

Desde que amanheceu
eu sou saudade.
É isso!



Ígor Andrade

_________________________________________________________________

Um comentário: