quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Bom dia, inferno!

Acordo
para o sofrimento.

Manhã que começa machucada.

Joelho na quina da mesa.
Testa no armário da cozinha.
Torcicolo e lombar de idoso.

Café forte demais... não gosto.

Não lembro do que sonhei.
Sinto-me um lerdo.

Onde deixei minha poesia
antes de dormir?
Nem consigo escrever direito.
Vou direto
ao ponto:
tentar acordar.

Acordo
sem acordo com o dia.



Ígor Andrade

_________________________________________________________________

7 comentários:

Karla disse...

rsrs Ah, esses dias azedos de nossas vidas... tiram-nos o humor e também, às vezes a inspiração. No seu caso acho que apenas o humor foi prejudicado...

Ígor Andrade disse...

É, Karla... certos dias não são dias...

Ulisses Borges disse...

"Acordo sem acordo com o dia." Tiradas para lá de inspiradas.

Ígor Andrade disse...

Valeu, Ulisses. Abraço!

Marcelino disse...

Faz tempo que não leio a palavra Lerdo; gosto dela. Ficou bonita no texto, bem colocada, depois de tantas batidas.

Ígor Andrade disse...

Abraço, meu amigo Marcelino!

Webert Gomes disse...

Apaixonado por suas letras.

Lê-lo assim, na tentativa de acordar, justo por mim que sonâmbulo não consigo dormir, embora a mim tudo pareça um sonho. Sonho sem sono algum.

Voltarei a ler o seu "a", "b" e "c" até chegar ao seu "z" e ver que seu alfabeto continua. Não sei pra onde...

;)