sábado, 28 de fevereiro de 2009

O vôo sonhador

Não se explica o inexplicável
não se muda os cheiros que sinto nos sonhos.
Tudo agora foi jardim.
Tudo que foi nesse instante
não foi distante
está aqui
dorme e acorda em mim.
E eu dormi e acordei
com o vôo brilhante de uma borboleta
que quer pousar no meu quintal
mas não deve
que quer continuar voando
mas não pode.


Ígor Andrade

___________________________________________________________________

8 comentários:

Cosmunicando disse...

transformar sonho em poesia, e com essa beleza, não é fácil!
bjos

S.L. disse...

A complexidade da borboleta do seu jardim, esta nas algemas do nao dever/poder. Que lindo sonho, amigo. Beijo meu.

Pan y vino disse...

Depois das cinzas do carnaval, um texto revigorante como um caldo forte num dia de ressaca.

Clarinha disse...

Não pode porque,Ígor?
Eu tenho a impressão de que você pode tudo...abraço!

Henrique disse...

gracioso

Patrícia Lage disse...

Borboleta é pra voar e pousar, seja onde for. Pense: vive como lagarta, sofre toda a metarmofose, amadurece, depois que assume a beleza concreta das asas não poderá fazer-se?

Deixe, poeta, deixe sim.

Meu beijo!

Isabela disse...

não se muda os cheiros que eu sinto nos sonhos.........È isso!

Pouse viu, se permita; só assim poderá decidir se que continuar voando.

Deise Anne disse...

muito lindo! poesia sempre!