domingo, 8 de fevereiro de 2009

À deriva

Só quero navegar
e levar alguém
para sentir a brisa por aí.

Contar as luas
e nascer com o mesmo sol
sem o mesmo isso
daquilo que evito.

Só quero querer mais
e esquecer o que é de menos.

Quero o que é eterno
e o que não é, também.

Quero os desejos
desejar.

Quero mais do que já encontrei
e encontrar sempre
algo que não tenha visto.

Só quero ver
e encher
minha memória
de poesia.



Ígor Andrade

__________________________________________________________________

4 comentários:

Tata disse...

UAUUUU!!!

Estava inspirado hein!
Divido os mesmos desejos que vc!
Mas, com certeza vc vai achar um belo pier para ancorar...a isso vai!!!

bjinhos

Daniel Silva (Sair das Palavras) disse...

Olá

Passe no meu blogue e aceite o desafio.

Obrigado.

Abraço.

Camilla Andrade disse...

Que os sonhos travestidos de desejos e vontades, sejam eternos, até mesmo quando os tocarem....até mesmo quando os sentirem...porque só assim, continuara sonhando, e transformando a vida, para sempre...no sempre...em eterna poesia.......a âncora de todo suspiro de felicidade...

Isto sim é a verdade , em poesia.
Emoção.

Deise Anne disse...

Eu costumo dizer que se um acontecimento da vida valeu uma poesia já valeu muito.
Encontrar alguém que encha sua memoria de poesia é algo muuuito valido!
Sorte na busca. Lindo poema!