quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Ontem fui o que sou

Sou a volta sem orvalho
do imediatamente, demorando
no seco e cinza asfalto
das ruas desertas de mim.

Eu árido, despovoado.

Só agora percebo
que a demora nessa viagem
não é a chegada, nem o relento
mas cada tolo pensamento
que tenho desde a saída inspirada.


Ígor Andrade

_________________________________________________________________

3 comentários:

Barbarella disse...

seu tolo pensamento é achar que escrevo melhor do que você, não mesmo.

abrços

Ps. post novo no barbarella

S.L. disse...

O pensamento é, senão, o próprio caminho. Temor da ida, mas sempre à espera da chegada.
Beijo meu.

Patrícia Lage disse...

Os caminhos são de volta. Pelo menos pra mim, são de volta, nunca de ida. Uma ânsia de retorno, sempre.

Esse é um típico poema em atos. Lindo mesmo, e difícil de encontrar.

Meu beijo.