quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Eu (e a) via.

Na lacuna da avenida
e na coluna do lamento
o que desabita na dor
renasce em sentimento.


Ígor Andrade

____________________________________________________________________

3 comentários:

Tata disse...

Oi,

Nossa esse está lindo!Parabéns!

bjinhos

Patrícia Lage disse...

E eu estou sempre à terceira margem. Ou, entre parênteses. Coisa de reticências... Inacreditável.

Poeta, meu abraço.

Déa Paulino disse...

E demora para que a dor cesse?
Quando? Como acontece?
*Déa bate a cabeça na parede*

Beijo, poeta!