segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Cubro e descubro nuvens

Uma segunda diferente, bem diferente
instabilidade nos céus, em todos eles.

Estava nublado e de repente o sol saiu
e desapareceu e saiu de novo
e desapareceu e saiu, novo.

Hoje parece um ponto zero
do nascer entardecendo
do ser em ser, só sendo
deslocamento, que desloca a mente
dez milhões de coisas acontecendo.

Nubla novamente no louco tempo
e lá vou eu, futuro
e lá vai, presente
e lá vem o sol, passado
velho mundo novo mudando
dos tempos de tempo roubado.


Ígor Andrade

__________________________________________________________________

6 comentários:

Van disse...

Igualzinho à vida!!!!!

Beijucas, querido.

Camilla Andrade disse...

Perfeito-Preciso-Prolixo..

e

Perplexa!!!!


Poeta meu....

☆ Sandra C. disse...

'instabilidade nos céus, em todos eles.'

é verdade. temos vários céus. e ainda mais infernos. e todos são instáveis!

Cláudia I, Vetter disse...

muito bela a percepção de tuas palavras , pra fala do que já se torna comum... o belo.

;***

Déa Paulino disse...

Aqui, na segunda, o sol se pôs. O escuro tornou-se aconchegante...
Beijo!

S.L. disse...

A inconstancia da dúvida nos faz parte, mas, ainda assim, sabemos que o céu sempre ficará azul.
Um beijo.