sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Meio Socrático

Depois da maiêutica
a manhã
tudo aquilo que pensei
e mais do que isso.

Isso?

O que seria isso?

Ou aquilo?

Continuo (nu) no monólogo.

Fluxo falso falho e fácil
de consciência cansada
cansativa e que cansa.

Seria isso, intensidade além da justa medida?

Qual seria a medida justa?

Tudo me frustra.
Ou não?

Pensando.

Pensando.

Pensando...


Ígor Andrade

__________________________________________________________________

5 comentários:

Vampiric Rose disse...

Se você continuar seguindo Sócrates, garanto que enlouquecerá. As vezes acho que nem mesmo Sócrates sabia a resposta do que ele ensinava, as vezes parece que Sócrates não sabia o que dizia, que ele era um bêbado, como a maioria dos intelectuais que um dia tiveram seu lugar reconhecido. Isso pode ser denominado por preconceito, mas se analisarmos, só na hora do álcool é que pensamos bem.

Jota Fagner disse...

Fluxo falso falho e fácil
de consciência cansada
cansativa e que cansa.

Interessante jogo de palavras.

Tata disse...

Oi,
Grandes pensadores filósofos sempre inspiram e fazem a gente pensar!

Quanto a Liv Tayler, tbm adoro ela!
é por isso que eu a coloco no meu blog, todo mundo fala das loira e esqueçem das grandes morenas!KKKK
bjinhos e bom fds!

Déa Paulino disse...

Maiêutica cansa? A mim só perturba. E como perturba!
Beijo, poeta!

Patrícia Lage disse...

Eu penso, e o órgão bate. Três vezes e depois, além. "Esse abismo que é pensar e sentir".


Meu beijo.