sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Ao alcance

Ainda procuro o dia
como o que buscava
sonhos nas prateleiras
a realidade descoberta
de corações ferventes
que aqueciam corpos
e derretiam geleiras.


Ígor Andrade

____________________________________________________________________

6 comentários:

Camilla disse...

Os sonhos mais difíceis, coloco nas prateleiras mais altas, para que sempre me empenhe em algum dia alcancá-los!

Camilla disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Tata disse...

Oi,

Mas esse "Dia" ainda existe, só está cada vez mais raro, difícil de se encontrar!!!!!
Mas dê tempo ao tempo...que esse seu dia há de chegar...E quando ele chegar, vc vai saber!!!Pode apostar!
bjus e bom fds

Déa Paulino disse...

Eu ainda busco sonhos nas prateleiras. Tá difícil encontrar um coração que aqueça o corpo e derreta as geleiras.
Um beijo, poeta!

mariam disse...

Ígor A.
gostei do poema.
e, mesmo os sonhos mais difíceis, podem ser realizáveis... desde que exequíveis!

obrigada p'la sua visita.

bom fim-de-semana
um sorriso :)

mariam

Patrícia Lage disse...

Vai ver minha meta é esta também: sair por aí descobrindo as realidades. Porque eu prefiro os corpos quando estão derretidos mesmo.

Meu beijo.