quarta-feira, 28 de abril de 2010

Tarde tarde

Ao passar pela cozinha
e área de serviço
nesta tarde tarde
não consegui não ficar
olhando pro prédio novo
construído atrás do meu
(que tapa a visão da rua movimentada que eu tinha antes).

Uma moça alisa os cabelos
a senhora do segundo andar balança na rede
um homem no andar de cima passa a vassoura no quarto...

Como nós seres humanos parecemos patéticos vistos de longe!

(Lá embaixo uma piscina suja, assim como eu, sem ninguém dentro.)

Passei um bom tempo
pensando no bom tempo
que tive e poderia ter.

O povo parece feliz!
Eu pareço não
tentar parecer nada.

A tarde tarde
me arde em pânico
e com o peito quente
tento não sentir calor.

(Um dia limparão a piscina, para alguém mergulhar.)



Ígor Andrade

___________________________________________________________________

5 comentários:

Ju Fuzetto disse...

Um dia todas as piscinas poderão ser mergulhadas!!!

Um abraço!!!

adorei

Nó! disse...

patéticos qd vistos de longe
e mts vezes qdo vistos de perto tb

Marcelo Mayer disse...

quando as coisas bobas e simples de um dia qualquer fazem cenário para uma poesia... é que o poema se torna FODA

muito bom!

aninha_ksr disse...

Simplesmente incrível como vc conseguiu transformar em poesia uma cena qualquer de um dia comum!

AMEI! *__*

Lara Amaral disse...

"Lá em casa tem um poço, mas a água é muito limpa", ou não.

De perto, ou de longe, difícil enquadrar-se em todos os atos da vida, ou nas janelas dos blocos que tampam nossa visão.

Poemas sensacionais os seus, sempre! Mexem no âmago.

Beijo.