terça-feira, 24 de junho de 2008

Taciturno

Linhas desnudas
em solo
afunda.

Folhas em branco
no alto
pranto.


Ígor Andrade

_____________________________________________________________________

12 comentários:

Faby disse...

ponha as folhas pra baixo.
seca o pranto, muda o rabiscado(?)

isadora müller disse...

mas sempre fica bem :)

boa semana! :D

matheuss disse...

gostei de nietzsche ali em cima.
acho que afundar o pranto nas linhas é o melhor a fazer às vezes.

Chana de Moura disse...

a musicalidade é o que mais me encantou no poeminha, garoto. :)

Van disse...

Tudo é esboço.
Viver é isso.

Menina da Imprensa disse...

Contigo... tristeza, pranto, tudo ganha um brilho... Forte e delicado! Lindo...

Kisses

psique disse...

simples e expressivo.

**

valeria disse...

adorei!!!!!
ficou muito bom


bjs

Vlademir disse...

Olá Igor, vi o link do seu blog nos comentários do Tico. E resolvi vim aqui te visitar.

Bons versos.


Abraço!



www.vladsalomao.blogspot.com

Paulo Sarges disse...

Poesias lindas cara...

Muito boas mesmo, me lembra um pouco paulo leminsk

Parabênss

=]
se cuida abraços

Patrícia Lage disse...

Lindo isso...
Ficar entre os extremos e sentir, apenas.

Meu beijo, rapaz.

mundo azul disse...

Bonito, Igor! Gosto de poemas assim, curtos...
Beijos de luz e muita alegria no coração!!!