sábado, 28 de junho de 2008

O homem da época

Sou muitos

em seres ouvintes
e deuses calados.
Vivo poucos entre pedintes.
Vivo alguns em minutos largados.
Até que seja, eu, todos.
Ainda assim não serei nenhum.
Um homem e a história comum
dos passados seguintes
ou dos anos fadados.



Rogi Fernandes

___________________________________________________________________

8 comentários:

Van disse...

Somos todos repletos de vários.
Somos todos um pouco de tudo.
Somos todos o inteiro composto de diversos.

Lindo poema, Ígor.
Beijuca

Miguel Barroso disse...

Somos um amor que se senta e permanece estoicamente activo na magnitude uterina do seu esplendor.



Abraços do EU, SER IMPERFEITO e d´A SEIVA

Van disse...

Oiii baby,
Sumiu de lá...
Saudades.

Fica bem.
Beijucas

Faby disse...

tudoemum
ou quase isso.

:)

Faby disse...

tudoemum.
ou quase isso.

(:

Lu disse...

E o que realmente somos?
Grandes, pequenos?
Apenas vivemos,
para quem sabe sermos.

Ótimo blog!
Besos (:

Poesia! disse...

Boa noite!

sou adm. do blog "O Fogo Anda Comigo"
(thefirewalkswithme.blogspot.com)
o blog tem como idealização um SARAU AMPLIFICADO!
onde recebemos e publicamos poesias!
gostariamos de contar com seu apoio no projeto.
seja com poesias ou divulgação!
contato por e-mail: ofogoandacomigo@yahoo.com.br
OBRIGADO!

Van disse...

Gentem....
Cadê tu, poetinha?
Ops..... Poetão...
hehe

Espero que esteja tudo bem.
Beijuca

VAN FILOSOFIA!