sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Escrevo

Escrevo sozinho na noite.
Escrevo na noite sozinho.
Escrevo sozinho pra noite.
Escrevo pra noite sozinho.
Escrevo noite.
Escrevo sozinho.
Escrevo sobre o que é ser sozinho
e escrevo sobre o que é ser noite.
Escrevo
porque não tenho
nem a noite
nem a solidão.
Escrevo.
O que escrevo?
Eu apenas escrevo...



Ígor Andrade

_________________________________________________________________

3 comentários:

Marcelino disse...

O eu é a marca desta página da web (basta ler o poema Entreouvir). Há quem possa considerar abusivo tanto uso da primeira pessoa; eu, por meu turno, considero um registro poético, uma forma específica de o eu-poético se manifestar e que deve ser respeitada e lida com atenção, pois há sempre a possibilidade de o leitor encontrar, nos textos do poeta, eco para suas reflexões pessoais, seus sentimentos, suas emoções particulares.

Ígor Andrade disse...

Abração, meu amigo Marcelino!

Natália Campos disse...

Noite sagrada, belas palavras!