terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Tears

Madrugo o frio
no meu cansaço.
Não sou feito de aço
e sei muito bem:
que as coisas que eu sinto
que as coisas que eu minto
ainda vão me matar.

Madrugo um frio poema
hoje salgado
hoje sofrido
um frio poema sentido
insosso e ardido
com o gosto de mar.



Ígor Andrade

_________________________________________________________________

5 comentários:

Lu Tostes disse...

"um frio poema sentido
insosso e ardido
com o gosto de mar."

Show de bola... rsrs (flamenguista com direito a Ronaldinho):)

Lara Amaral disse...

Seus poemas de hoje me causaram aquela sensação de identificação, de precisar tê-los lido para seguir meu dia. Como é bom encontrar companheiros assim na vida poética.

Grande abraço!

Tania regina Contreiras disse...

Ouvi a música tocar: um poema melodioso!
beijos,

Ígor Andrade disse...

Lara,tantas vezes me senti assim ao te ler...

Abraço, meninas!

Mr.Orange disse...

Poema ardido e salgado , assim como uma gota de lágrima que se perde no infindo mar de mentiras; mas afinal o que é a poesia, se não uma mentira repetida!
Ôps, desculpe-me, mas essa é a vida!
Ótimo texto! E ótimo blog!
Cordialmente. Adriano MB.