sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Minha menina

Tarde de saudade grande
de olhar perdido
no seio falante.

Tarde de pensar
na inocência
que me engana
sempre.

Tarde em que o vento fala
e a menor escala
é incomensurável.

Tarde que mente
e isso provavelmente
é o brilho do improvável.

Tarde para lembrar
daquele pôr do sol
por ser seu.

Tarde que me sinto
sem ela
um ser pequeno.



Ígor Andrade

_________________________________________________________________

3 comentários:

.raphael. disse...

lindo isso velho! Poesia pura!
Sem mais!

abraço

Fernando Luiz disse...

Fala meu amigo Igor. Aqui é o Fernando Luiz, seu amigo P. de Tamagoshi, do Farias Brito

Não sabia dessa sua veia poeta... Muito bons seus textos. Eu também me arrisco a escrever de vez em quando... Prova de que as aulas da Chica Maria serviram pra alguma coisa...rsrsrsrsrsr

Visite Lirismo Plural http://lirismoplural.blogspot.com e O Pensador Espiritual http://opensadorespiritual.blogspot.com , blogs de minha autoria...

Muito bons seus textos, visitarei sempre

Grande abraço

Luiz Guilherme Libório Alves disse...

Grandioso, pela totalidade. Gostei muito.

Abração.