quinta-feira, 17 de setembro de 2009

De(s)contentamento

Leio muito e escrevo pouco
mas quando leio pouco, escrevo muito.
Ler e escrever, muito ou pouco
me salva.

Tudo me incomoda
quando algo me acomoda.
A insatisfação não é desgosto
é minha melhor percepção gustativa.

O gosto do café amargo
o rosto magro da fome
uma qualquer coisa
que me agonia e não tem nome.

Meu quarto desfila
um branco nas paredes
e é insuportável.



Ígor Andrade

___________________________________________________________________

2 comentários:

Pan y vino disse...

Realmente a insatisfação depura nossa percepção: qdo estamos acomodados,vivemos no torpor, na alienação, circunscritos ao umbigo da nossa felicidadezinha, mas qdo olhamos e enxergamos o outro com seu sofrimento, aí, sim, somos mais humanos.

Camilla Andrade disse...

Sinceramente....
Contente-se com sua inteligência, poeta.
Isto está UM ABSURDO.
Belíssima poesia...
Um reflexo esplendoroso...
Assustei..e me calei.

"GÊNIÁSTICO"