quarta-feira, 30 de setembro de 2009

A cura

Para o amigo Fabio Rocha.


A poesia
me mantém vivo
até quando morro aos pouquinhos.
Me mantém lúcido
e me sintoniza com o tempo.

Estou de pé
decidindo para que horizonte
seguir.

Que o sol continue nascendo
ou se pondo
e que os mosquitos
não me roubem o silêncio.



Ígor Andrade

___________________________________________________________________

Um comentário:

Fernando Rozano disse...

a poesia, Igor, sempre nos mantém vivos. sempre rico e denso. meu abraço amigo.