sábado, 2 de agosto de 2008

Da janela

O tempo nublado
e as folhas paradas
parecem saber
(de um tudo
que é nada)
que é hora de dormir
tranquilo sigilo
agora o pardal
antes o grilo
deitar e deixar ir.


Ígor Andrade

___________________________________________________________________

6 comentários:

Fernando Rozano disse...

poesia de uma manhã porto-alegrense. e, mineiramente, da janela lateral leio teus versos em busca do sol, ainda adormecido. meu abraço.

Déa Paulino disse...

Que maravilha poder sentir o tempo como parte dele!
Tenha um ótimo sábado, poeta.
Beijo!

Julia disse...

É como se tudo aos teus olhos fosse poesia.

.....................................

Sobre a Olívia...não continuarei essa história. Foi apenas um relato de uma de suas experiências ..Mas quem sabe eu não volto a falar dela lá no blog?!

Beijos.

AnaLua disse...

É sim tempo de recolher. Ah, se soubéssemos seguir os sinais da natureza... tempo pra tudo!
O sol já chega!
Bjo!

AnaLua disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
mundo azul disse...

...bonito!
Gostei do seu poema, meu amigo...

Beijos de luz e um domingo feliz!!!