segunda-feira, 25 de julho de 2011

Quatro mil quilômetros


Mesmo que não seja mais
tudo que foi um dia
já é muito
ter sido o que era
(e eu não minto
eu quero mais).

Cada minuto
que os nossos sorrisos se encontraram
cada segundo
que meu olho parou no teu
cada qualquer coisa ao teu lado
é um mundo belo demais
e grandioso demais
e complexo demais
pra gente entender.

Mesmo que falte o céu
pra chegar em ti
mesmo que falte o chão
pro meu caminhar
mesmo que não seja mais
tudo aquilo que mesmo menos
era todo infinito
mesmo assim eu ainda digo
que ultrapassamos o conceito
homem e mulher
um ser e todos os sexos
o toque e a palavra
a pele e o ouvido
e serás sempre pra mim
mulher demais
intocável demais
neste poema.



Ígor Andrade

_________________________________________________________________

6 comentários:

Lara Amaral disse...

Belíssimo!

Keylla Bins disse...

Lindo!!!

Me emocionou.

Ígor Andrade disse...

Vocês não viram ainda a musa inspiradora. Ali a beleza tem outro significado.
Abraços, meninas queridas!

Natalia Campos disse...

Belíssimo, maravilhoso, encantador! Me emocionei com suas palavras. Como sempre...inspirador, meu caro. Parabéns. O meu desejo é que cresça cada vez mais nas palavras. Você de fato é um poeta nato. Me encanto com tudo que escreve. Beijos, meu querido. Au revoir.

Ígor Andrade disse...

Valeu, Natalia!
Seus olhos são preciosos.
Grande abraço!

Rafaela disse...

Lindíssimo! Sempre me emociono ao ler.