sábado, 26 de fevereiro de 2011

Acédia

Eu queria hoje
me sentir bem
pra variar.

Não sei direito
o que estou fazendo
com minha vida.
Nem sei o que é direito também.

Caminho na vida
com essa tristeza...
(Pode ser que passe.
Pode ser leveza.)

Vai saber...

Vinte e nove anos de vida
estranha e solitária.
Devo estar cansando.

Não ando sorrindo muito
e ando me preocupando pouco.

Estou ficando louco.
Estou ficando louco.
Estou ficando louco.

Onde estão os meus amigos?

Não sou convidado para aniversários ou formaturas, mas também não queria ir; só queria ser convidado.

Que dia triste!
Olho pro mundo
e só busco o que não existe.

Choro
isento de vergonha
ou crime.



Ígor Andrade

_________________________________________________________________

4 comentários:

Heloisa disse...

Ígor, vc não está ficando louco, na verdade vc está entrando na crise dos quase 30...
Quanto aos convites de aniversários e formaturas, eles foram trocados pelos de casamento, chás de baby, batizados, e se lhe convidarem e vc não for, vão deixar de lhe convidar mesmo.
Seus amigos estão no seu coração, basta vc resgatá-los para que eles voltem a fazer parte da sua vida.
Olhe pro mundo e busque o que de melhor ele pode lhe dar, porque o mais importante nessa vida é amar.

Andressa disse...

AS vezes, é preciso mudar um pouco, rever certas atitudes e pensamentos. Mudar o ambiente em que se está pode ser revigorante e proporcionar novas amizades.

Keylla Bins disse...

Caramba...quanta coragem e lucidez. Ando personificando seu texto também e me questiono, assim como vc.."se é mesmo tristeza ou leveza". Tem dias em que certas coisas nos pegam pelo tempo..e, valha-me Deus..será que existe a tal crise dos 30 ou estamos todos loucos? Um bom dia..sigo lendo vc.

Webert Gomes disse...

Autobiográfico, mas tão humano, e por isso de todos.

Minhas lentes te assediam ao ler suas palavras, pareço te tocar pelos dedos e amansar o movimento frenético da mão que se esparge sobre o teclado tão duro rente o seu toque. Parece querer afundar máquina a baixo, mas a colisão com o espaço vácuo e inerente ao nada que se esconde além de. o retém. Retém?

A tristeza o comovendo, o ruindo, o cansaço do dia que não vem e a leveza pelo dia que foi. Leveza, cansaço. Antagonia. Vida e morte convivendo juntas.

Me identifiquei um tantos com seus textos. Poemas que mal cabem em si, mas que não exigem espaço. Bastam-se.

Tristeza? Loucura? Fim?
A vida é [só] isso mesmo. E a gente ainda procura um fim.

Abs!