quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Canon

Não fui vencedor.

Um concurso
muda o curso
de um dia.

Se um dia
cheguei a pensar
em qualquer surpresa literária
me enganei.

Cheguei num ponto
que não sei escrever um conto
e minha poesia não me surpreende mais.



Ígor Andrade

___________________________________________________________________

3 comentários:

Fabio Rocha disse...

Ao vencedor, as batatas...

Concursos em geral e bancas julgadoras de reconhecido valor literário nhém-nhém, pensando bem, são esquisitos sem esquistossomose esquiando na escória do esquecimento.

:)

Ígor Andrade disse...

Teu comentário é melhor que meu poema besta, parceiro! rs

Morenah disse...

hihihi...muito bom... Gostei do devaneio (Ígor), e melhor que ele as palavras sem sentido mas que fazem todop o sentido (Fabio). Beijos meus. Ótimo inicio de semana :)