sábado, 25 de julho de 2009

Liberty (o edifício)

No subsolo da liberdade
algo preso dentro é saudade
algo livre fora é vaidade.

Pensa a cabeça que pensa
no peso do corpo que pesa.

Há um mundo embaixo de outro
que nem é outro
que nem é um
nenhum.
Nenhum de nós sabemos da prisão que imaginamos nos libertar.



Ígor Andrade

___________________________________________________________________

7 comentários:

Camilla Andrade disse...

Seus vários mundos.
Inerentes, no MEU MUNDO.


Lindo, poeta....

Estava com muitas saudades, viu.

nina rizzi disse...

eu nunca quis me prender assim:
me libertando, ou achando que.

beijo :)

glória disse...

essa prisão quase invólucro, laço que enterlaça e não se vê. eu vislumbro! bjs poeta

Fran Sanchez disse...

Bravo!! Bravo!!

Pra fora de mim, liberto a voz que te admira e parabeniza! ;]

Beijos.

S.L. disse...

Encontramos nas prisões a liberdade para voar!

Saudades amigo!

Meu beijo.

Laura Bourdiel disse...

Liberdade, saudade... Palavras que adoro e que se tornam ainda mais admiradas por mim em sua poesia. Divino.

¡besitos!

Pequena Poetiza disse...

belíssimo e verdadadeiro
dos mundos que criamos
nos aprisionamos sme saber quantos deles então por cima de nós
por baixo
ao lado
nos cercam em prisões sem chaves
só a voracidade da alma para quebrar os muros

beijos