quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Variante repentina

Numa hora
tudo demais
e na outra
muda o agora
que nada me traz
ou falta me faz.
Rouba o tempo
remove o vento
lento.
Ira ora!
Pôr pra fora!
Aqui dentro
repulsa
pulsa
aflora
perco a paz.



Ígor Andrade

___________________________________________________________________

24 comentários:

Profº. Eric Frantto disse...

Muito bom! Boa notícia:
VOCÊ ACABA DE GANHAR UM SELO! Passa no "( Óculos e All Star )"para pegá-lo! Grande abraço!

Tata disse...

Nossa!
Lindo!Perfeito como sempre!
bjim

Talles Borges e Borges Moreira disse...

Deveria fazer um livro, seus poemas saum lindos
Parabens
;)

Zinha :) disse...

Você lê muito Allan Poe, não lê?!?

Seus poemas são tão morfologicamente simpáticos e tocantes. Doces.

Beeijos!

Gilgomex™ disse...

"muda o agora
que nada me traz
ou falta me faz."

Boa.
Esse trecho ficou muito bom...
Digo, a poesia toda ficou... Mas essa ficou bem marcante.

blurred disse...

é... é difícil acreditar como é tao fácil tudo mudar assim duma hora para a outra nao e? e a marca q isso nos deixa.. é mesmo de nao conseguir ter paz c estas variações extremas

Mt bom como sempre, parabens* :)

Déa Paulino disse...

Que tormento!
Pela primeira vez um poema seu lembrou os de alguém de quem gosto muito.
Um beijo!

Talles Borges e Borges Moreira disse...

Eita que sumiu do meu blog
Hahaha
N vivo sem passar aqui!

Fernando Rozano disse...

tua poesia é rica e densa, remete à leituras múltiplas e sempre inovadora. meu abraço.

Jana disse...

Tu escreves com leveza. Bom demais ler-te!
Bjk!

Favoretto, Thais. disse...

"Esqueça a poesia, chame a polícia!"

EIHUIEUHIUEIHIEIO

Talles Borges e Borges Moreira disse...

Haha que nada relaxe, gosto muito dos seus poemas msm

Ricardo Valente disse...

Pulsa, repulsa. Explode e começa de novo. Forte abraço!

Rejane Oliveira disse...

Eu perco a paz sempre que não passo por aqui! rsrs

bjos

Camilla disse...

Tese
Antítese
Síntese

A pura dialética em seu poema!

Até mais...

Abraço!

m disse...

perdão pela invasão, mas a usuária "thais favoretto" dona do blog "oquetesobralemdascoisascasuais" não é a verdadeira autora dos lindos textos que publica. ela copia textos e fotos dessas paginas aqui:

www.fotolog.com/trouxesteachave

www.fotolog.com/blussh

perdão pelo incomodo, mas sou a dona do primeiro footlog e minha amiga é dona do segundo. estamos tentando avisar isso a todos os amigos que comentam no blog dela, pra avisar que isso tudo é plágio! não é virus, nem spam. meu nome é marjorie, e se desejar, deixo aqui minha pagina no orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?uid=13059396201502791421

um grande beijo, e perdão pelo incomo novamente. tenha uma linda semana o/ :**

Favoretto, Thais. disse...

é um micro-conto de santiago nazarian. é só isso "esqueça a poesia, chame a polícia.", isso é o conto.

passarocalado disse...

Ave maria...c me mata de orgulho com suas palavras milimetricamente ajustadas nesses versos que sempre leio!
=DDD

Favoretto, Thais. disse...

Procure por Edgard Allan Poe.
Pra ser mais específica, leia um livro chamado "poemas e ensaios", do mesmo. Tem um poema chamado "o corvo" que é a coisa mais morfologicamente doce que eu já li. é maravilhoso.
beeijos! ;*

' arcano disse...

Voce não faz só poesia, é algo muito maior *-*

MANS / ANDRÉ disse...

vc é pulso

AnaLua disse...

Em frações de segundos destinos são traçados. Muda o agora que nada me faz... é bem assim mesmo, seu moço!

Beijos enluarados!

Gilgomex™ disse...

Passando para informar o novo endereço da coluna:

gilgomex.wordpress.com

Cristal disse...

gostei muito.
no ínicio deu aquela sensação de tudo, de satisfação
e depois
de completo tédio e abominação
a rapidez de seus versos
deu a ênfase
e o final mostrou que com tanta paz se perde a paz! rs
adorei abraços