quarta-feira, 9 de julho de 2008

Jackson Pollock - The Tea Cup


Num jogo sem peças
quem perde sou eu.
Abro o peito
e fecho os olhos
em minha natureza
dispersa
que se corrompeu.


Ígor Andrade

___________________________________________________________________

8 comentários:

Patrícia Lage disse...

Com versos assim, você só ganha.
Lindo poema!

Meu beijo.

Déa Paulino disse...

Às vezes é impossível se manter fechado, mesmo que com o peito aberto corra o risco de (se) perder.
Beijo!

Lu disse...

A gente sempre costuma perder.

Lindíssimo seu poema.
aliás, todos eles.

Ju disse...

tu és o próprio sujeito cheio de predicados. adoro!
beijão, querido!
lindos, sempre, teus escritos!!!

mundo azul disse...

Um poema curto e muito significativo!
Gostei!

Beijos de luz e um bom final de semana!!!

blurred disse...

Quando se abre o peito, e se fecha os olhos, o mais provavel é perdermos "o jogo"..
Porém, aprendemos que nao devemos fechar os olhos como protecção de nós próprios.. mas e abrir o peito? Mesmo de olhos abertos, devemos abri lo?

Van disse...

Quem se entrega nunca sai perdendo.
Beijucasqn

SL disse...

Nossa natureza eh abalada qdo nos abrimos ao mundo... Nosso coracao eh o universo seguro de nos mesmos.
Beijos!