segunda-feira, 7 de julho de 2008

Eu imagino

Nas teias de memórias
sem presas e faminto
as conversas ilusórias
que não tenho, minto.


Ígor Andrade

_____________________________________________________________________

11 comentários:

Cel França disse...

Eu já disse,mas digo de novo,que inveja da tua capacidade de síntese!!!entendo bem de conversas ilusórias...
eu não consegui ir embora hahaha,tô tentando achar um caminho melhor...
fiquei feliz de te achar lá no Tierra Insanna \o/
sério q gosta de azul?tái uma coisa q não entendo,eu gosto do vermelho ^^
abraço!

*¢£@üD!NhA''' disse...

riotact
Ensaios sobre a própria existência,
nada e tudo o mais.

Gosto de tuas intenções escritas.


;***

Vinícius Muniz disse...

adoro blogs poéticos... queria saber escrever poemas, afinal, sempre emociona!

muito legal isso aqui... vou favoritar no meu! obrigado pela visita.

abraços!

Vinícius Muniz disse...

você é inteligentíssimo, afinal, mater um blog com poemas e poesias é algo muito complicado! gostei muito disso aqui e vou favoritar! :)

ah... bela semana pra ti também!

abraços.

Julia disse...

Pra mim uma das piores coisas é querer conversar com alguém e não poder, seja lá qual for o motivo.
*suspiro*
Tenho inúmeras conversas imaginárias.

P.S.1 aulas chatas são o que há de mais inspirador

P.S.2 Eu deixei algum comentário aqui além desse? Porque eu ja vim aqui (achei seu blog no do Fabio), mas não lembro se cheguei a comentar.

Enfim ..

Obrigada pela visita.

o/

Chana de Moura disse...

fazia tempo que não lia aqui.
me identifiquei com esse.
bom bom

Vinícius Muniz disse...

que vergonha... HAHAHAHA! pensei que tinha dado erro no primeiro comentário e mandei outro! ficaram 2... mas, o que importa é a mensagem passada.

abraço,

Jana disse...

Gostoso seu espaço. Emoções sintetizadas.
Obrigada pela visita.
Beijo no coração!

Van disse...

Lindo, poeta.
Beijucas

' arcano disse...

Me desespero em pensar na hipotese de ser privada de minha imaginação!

Voce é otimo (:

Rosa disse...

Obrigada pela visita! E suas poesias são delicadas e profundas.