terça-feira, 2 de outubro de 2012

Café gelado


O sentido da hora chora.
Nasce agora outro alguém
em algum lugar.

Tudo fora
e eu no meio
a sussurrar pegadas.

Foi-se embora o dia.
Ninguém mais saberia acordar.

Fim - mas começo.
Eu começo
a acreditar em outras coisas.
Mais tarde estará mais fresco.

Aurora distante.
(O que quero eu exatamente dizer?)
Uma gata no cio desespera os telhados.
Hoje ninguém vai dormir.

O homem é mesmo um bicho muito doente.
Se muito fala muito sente.
O presente dos deuses talvez seja silenciar matutices.

Uma dor de barriga sagrada
na madrugada.
O médico do tempo é o interior.


Ígor Andrade

______________________________________________________________________

5 comentários:

REAVF disse...

puro sentimento ou devaneio ao sentir o tempo.

Natalia Campos disse...

Como sempre escrevendo muito bem. SAUDADES, MANO. Beijos <3

Fabio Rocha disse...

G-e-n-i-a-l!! Abração, meu amigo

Marcelino disse...

De noite uma gata no cio nos telhados, de madrugada uma dor de barriga sagrada. Fantástica articulação, Igor.

Ígor Andrade disse...

Valeu, meu povo!