domingo, 20 de janeiro de 2008

Chove forte!
.. e aqui dentro...
o calor aumenta.
Gotas que pesam toneladas,
nessa noite escura imóvel.
Venta vento que não venta.

Na cortina incolor
que vai daqui até lá na frente.
Cobre a rua.
Cobre a dor.
Esconde um sofrimento,
um lento entendimento.
Brisa ausente.

Registro as imagens
assim como guardo mal palavras ditas.
Chove lágrimas de chuva.
Escorre a madrugada
das almas contidas.

Bem-vinda
ou adeus,
pancada atemporal.
Neblina das vidas.


Ígor Andrade

_______________________________________

Um comentário:

tais disse...

E ai moço!
Ta dando gosto ler o que vc escreve...apesar de dizer que não é poesia, eu sei que é! És um poeta dos dias! =)

Continue assim!

Abraço =)