terça-feira, 20 de março de 2012

20:50



Esta hora começou atrasada.
Pousei no galho da árvore do nada.
O horizonte permanece lá mesmo
se eu cair.


Esta hora começou atrasada.
Mas eu devo insistir.


Os ponteiros são os mesmos
de sempre.
(Não é?)
Eu que nunca fui pontual.


Parto do ponto que o pranto é um prato quebrado
e não se come bem nas rachaduras.


Não consigo não pensar
nesta hora que começou atrasada.


O samurai cego, surdo e mudo
afiou a espada
mas não vai lutar
dessa vez.


É ignorância não entender
a próxima batalha.
E a próxima batalha
já começou.
Pego o ego em desapego
e abnego o aconchego.


Quero as dores para entender
os dias antes da morte.
Sou desses
que não dispensam uma boa briga.


Chego no fim do dia
com o mesmo desânimo
que acordei.


Ou não entendi o problema
ou o problema não me entendeu.


Hoje me deu 
uma vontade de dormir...




Ígor Andrade

__________________________________________________________________________________

Um comentário:

Alexx Albert disse...

porque sempre corremos atras de nós mesmos