quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Da existência pura

Madrugada calada.
Madrugo distante.
Madrugo e mais nada.



Ígor Andrade

__________________________________________________________________

2 comentários:

Mai disse...

Existencialíssimo.
Mas quase Nietzscheano.

adorei isto!

Rodrigo Passos disse...

perfeito!