terça-feira, 18 de setembro de 2012

Um poema antes da manhã


Um poema antes da manhã.
Enquanto o povo ainda dorme.

Antes do dia ainda minha noite.

O ar fresquinho na janela escura.
(Minha vida dura esses poucos minutos.)
Preciso decidir o que sonhar.

Eu ia meditar
mas inventei de ler Dostoiévski.
Eu queria ser um cara inteligente...

Sinto dor na coluna
e saudade da minha mulher.
O porta-retratos da minha mesa conversa comigo.
Não me sinto sozinho.

Um poema antes da manhã
é tudo que eu precisava.
Vivo para lembrar do amanhã.


Ígor Andrade

______________________________________________________________________

6 comentários:

Natália Campos disse...

Lembre-se do futuro, mas não se esqueça de viver o presente. Saudades, meu mano querido. Um beijo no seu coração!

Nati.

Marcelino disse...

As madrugadas são especialmente líricas quando se tem um Dostoiévski às mãos. Já leste "Noites Brancas"? É fascinante.

Ígor Andrade disse...

Valeu, mana Natália. Abraço!

Ígor Andrade disse...

Mestre Marcelino, é justamente este livro que estou lendo.

Fabio Rocha disse...

Genial, principalmente o final, meu amigo! Parabéns!

Você já tentou meditar mesmo? :)

Vê se põe a opção nos widgets do blog para poder receber as postagens por e-mail, consegui convencer o Libório já. :)

Abração

Ígor Andrade disse...

Já tentei e já consegui, Fabio.
O que diabo é widgets, irmão?