quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Onze meses


Para Rafaela Bezerra.


Meu amor maior.
Maior amor
que o mundo.
Outro mundo
é o nosso amor.

Tudo que for
nosso
viverá para sempre.

Sempre...sempre...

Sem que a gente note
quase um ano já passou
e ainda temos uma vida.

Seja feita nossa vida.
Vida minha tão tua.
Noite nua
na crueza da saudade.

Hoje escrevo a cor dos teus olhos.
Hoje escrevo a eternidade.
E ponto.
E pronto.

Meu porto
seguro.
Minha porta
aberta.
Minha melhor parte
exata e certa.

Nosso ninho.
Nosso vinho.

Quem diria?
Calma e euforia.
Eu faria
mais por você.

Poder te amar
é entender
que independente do caminho
sigo com tuas pernas.

Nossos passos silenciam multidões.


Ígor Andrade

______________________________________________________________________

5 comentários:

Rafaela disse...

Onze meses que parecem onze anos! ;)

Obrigada por tudo, meu amor. Por me ensinar tanto, por me fazer tão bem.

AMO você! Sempre juntos...

Nadine Granad disse...

Lindo... lindo!...

Uma declaração que nos deixa sem ação ;)

Não há palavras... só sentimento... O "sigo com suas pernas" é TODO O SENTIMENTO: "Apenas seguirei
como encantado ao lado teu..."(CHICO)

Beijos =)

Marcelino disse...

A partir da quarta estrofe ("Sem que a gente note") o poema ganhou uma dimensão fantástica, lindo mesmo: esse lance de escrever a cor dos olhos, ser porto seguro/porta aberta, seguir com as pernas do outro e silenciar multidões, ficou demais, cara.

Ígor Andrade disse...

Rafaela, nosso amor é o melhor.
Amo-te, meu amor!

Ígor Andrade disse...

Abraços, Nadine e Marcelino!