quinta-feira, 30 de outubro de 2014

"Amandice"


A gente se acostuma a ser sozinho.
Ninho vazio
num mundo cheio de medo.
Tudo na vida demora
e a gente é tão cedo...

O dia parece que começa no fim
e a gente parece nunca entender o meio
de qualquer coisa.
E qualquer coisa
pode causar qualquer dor.
A gente se acostuma a não ver a cor
de nada.

A maior piada
é a própria vida.


Ígor Andrade

____________________________________________________________________________

domingo, 26 de outubro de 2014

Trabalhador foi meu avô, que veio do interior com sete "minino" pra criar e uma rapadura no bolso.


Não vai haver mudança
para melhor.
O meu país é um lindo calhambeque
que funciona por puro milagre
(leia-se: deus tem um bolso cheio...).
Estamos no prego.
Pretensão minha acreditar
na justiça humana.
Só a pobreza empobrece.
O rico anda com sua riqueza
e mal aprendeu a escrever direito.
Tudo perdido.
Nada feito.
Todo partido partiu!
Brasil:
a puta que pariu
alienados sem causa.


Ígor Andrade

____________________________________________________________________________

Sobre as eleições


Não
fui
votar.


Ígor Andrade

____________________________________________________________________

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

(Pa)ciência


(Escrevi, mas vou apagar logo menos.)

Começo a enxergar o mundo
diferente.
Com indiferença.

Não conheço o outro.
Nunca conheço o outro.
Não tenho crença.

Mas cresci.
E agora posso entender a escuridão
das pessoas.

Cada um com sua cruz.
Eu com minha poesia.

Ponho o dia
na mesa
antes de amanhecer.
Não sinto fome.
Amanheço a noite
sem dor e nome
para esquecer
quem não me esquece.

A vida merece
algo mais que memórias.

Tudo que existe é presente.
E estou ausente
e sinto.

O que faz do homem
um sujeito homem
é o poder de alimentar esperança.
(Será?)


Ígor Andrade

____________________________________________________________________________